Pensando Bem, Quem espera pela renúncia de Antonio Gustavo, “pode tirar o cavalo da chuva”.

Por Ronaldo Josino 14/10/2017 - 16:06 hs

Esta semana o colega blogueiro titular do Facho publicou uma matéria sobre a possível renúncia do vereador Antonio Gustavo. Segundo a matéria, o vereador renunciaria devido, entre outros problemas, o de saúde.

Beleza, por um lado é até compreensível. Mas por outro, . . .

No meu pensar e ver as coisas, a suplente Raquel, ex-vereadora e ex-secretária de Cultura poderá até assumir uma cadeira no legislativo grossense, isso não é de forma alguma impossível, até por que Raquel, na legislatura passada, chegou a assumir o legislativo no lugar de Erasmo Carlos que cedeu a cadeira para assumir a Secretaria de Saúde, lembram? Então ela pode assumir novamente? Sim, pode, mas por qualquer outro motivo, menos por renúncia de um vereador.

Em Grossos – e acredito que na maioria dos municípios – um candidato a vereador “paga” caro para obter o mandato de parlamentar, estes vendem ou penhoram o que tem; carro, moto, terreno e até casa. Alguns fazem empréstimos, compromissos caros, findam a campanha devendo a “deus e o mundo” para se eleger e logo eleito procuram liquidar suas dívidas e ao mesmo tempo fazer seus “pés de meias” para a campanha seguinte. É um ciclo vicioso e venal que todo ano a gente vê.

Antonio Gustavo não é diferente, com seus 3 mandatos em mãos, seu compromisso se torna maior, pois já deve – em três campanhas – ter feito muitos e muitos compromissos, além de tudo isso, Gustavo é – entre os atuais nove vereadores grossenses – um que tem praticamente sua reeleição garantida, logo tem um mandato valioso no sentido de custos.

Em meio a tudo isso, vem o puder. Ser vereador, além de não ser um diploma fácil de conquistar, é ser dono de opinião, de decisão, autoridade e, ruim ou boa, representatividade.

Renuncia por problemas de saúde é considerável quando esta função está intrinsicamente ligada a sua saúde e isso de fato acontece em casos do executivo, já no caso de um mandato de vereador no máximo pede-se afastamento por alguns meses, e cá pra nós, o mandato pode até ajudar a custear o tratamento desses problemas. Dentro ainda dessa questão, a maioria das renúncias, principalmente de políticos é por questões judiciais.

Além de tudo isso, a presidência da Câmara Municipal de Grossos para o segundo biênio ainda não foi decidida e o vereador Antonio Gustavo tem desejo sim de ser presidente, quem não deseja? Problemas de saúde existe? Sim, mas estes são para serem tratados e como vereador, fica até mais fácil. Penso!

E, por fim, Antonio Gustavo não está como vereador somente por que ganhou o direito de ser vereador, mas sim, por que gosta, ele gosta de ser vereador e por se só, isso já é o bastante para ele nunca, nunca pedir renúncia.

Então, acredito eu que o vereador deva ter se deixado levar por um ou outro problema emotivo, talvez de famíla, quem sabe, e dito ao blogueiro que pensava em desistir e daí surgiu toda a especulação.

Dito tudo isto, pergunto: Antonio Gustavo tem algum problema com a justiça? Até onde sabemos, não.

Então caros, quem estiver esperando a renúncia de Antonio Gustavo, espere, mas espere sentado.

Como diz o ditado; Pode tirar o cavalinho da chuva.

O tempo dirá.