R$ 15 milhões com leite condensado, R$ 2,2 milhões com chicletes. Veja os gastos do gov. federal.

Como explicar esses gastos?

Por Ronaldo Costa Josino 26/01/2021 - 15:46 hs

Fonte: IG - O gasto com leite condensado está entre os principais do Executivo federal, sob o comando do presidente Jair Bolsonaro , em 2020. De acordo com um levantamento do (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, com base no Painel de Compras atualizado pelo Ministério da Economia, o gasto com o produto, que o presidente gosta de comer com pão, ultrapassou os R$ 15 milhões.

Em todo o ano, os órgãos do Executivo gastaram mais de R$ 1,8 bilhão em alimentos, um aumento de 20% em relação a 2019. Os itens do "carrinho" do Executivo chamam a atenção.

Só de chiclete , mais de R$ 2,2 milhões foram gastos. Já as compras com molhos (somando shoyo, inglês e de pimenta) representam mais de R$ 14 milhões do total. Pizza e refrigerante , juntos, totalizam R$ 32,7 milhões.

Além das  junk foods , o Executivo também gastou com alimentos mais refinados. Só em frutos do mar foram mais de R$ 6 milhões, além dos R$ 7 milhões em bacon defumado e os mais de R$ 123 milhões em sobremesas diversas.

De acordo com o levantamento, o órgão que mais gastou foi o Ministério da Defesa , que totalizou mais de R$ 632 milhões em gastos alimentares. Só de vinho, a pasta ultrapassou os R$ 2,5 milhões.

O segundo maior pagante do Executivo foi o Ministério da Educação , com R$ 60 milhões. Em terceiro lugar, ficou o Ministério da Justiça , com despesas que superam os R$ 2 milhões.

Ao Metrópoles, o Ministério da Economia justificou que a maior parte do gasto com alimentação é do Ministério da Defesa "porque se refere à alimentação das tropas das forças armadas em serviço". A pasta ainda acrescentou que "toda despesa efetuada pela Administração Pública Federal está dentro do orçamento".