América vence Avaí, mas Chapecoense é campeã da Série B com gol nos acréscimos

Por Ronaldo Costa Josino 30/01/2021 - 16:18 hs

De forma dramática, o título da Série B do Campeonato Brasileiro ficou com a Chapecoense. O América venceu o Avaí por 2 a 1 em jogo muito disputado e emocionante no Independência, nesta noite, no entanto, viu o título escapar nos acréscimos não da sua partida, mas do duelo entre Chape e Confiança na Arena Condá, com o gol de pênalti de Anselmo Ramon, que sacramentou a vitória dos catarinenses por 3 a 1 e a conquista do Verdão do Oeste, superando o Coelho no critério de saldo de gols.

Foi uma noite maluca, de muita emoção na Série B e com o título definido de forma dramática. Em Belo Horizonte, o início já foi eletrizante. Logo aos quatro minutos, pênalti para o Avaí e muita expectativa. Na cobrança, Matheus Cavichioli defendeu o chute de Alemão. O lance deu ainda mais confiança e tranquilidade ao América, que já era superior em campo, e afetou os visitantes psicologicamente. Não à toa, apenas três minutos depois, Alê deu bom passe para Rodolfo, dentro da área, fuzilar a bola para o fundo das redes, abrindo o placar para o Coelho.

Com a vantagem no placar, o time de Lisca aumentou ainda mais seu domínio em campo, controlando a partida completamente e sendo muito superior ao Avaí. A marcação pressão dos americanos na saída de bola dos catarinenses causava um estrago enorme aos visitantes, com o Coelho fazendo seu adversário errar e sofrer muito, sempre roubando a pelota, ficando próximo da área rival e criando chances.

E a superioridade alviverde foi recompensada aos 22 minutos, com Ademir finalizando de canhota de fora da área e a bola quicando atrapalhando o goleiro Gledson e entrando no fundo das redes.

Dominante no primeiro tempo, o América ia sendo campeão com seu triunfo por 2 a 0, enquanto a Chapecoense, na Arena Condá, vencia o Confiança por 1 a 0.

Na etapa final, porém, tudo mudou. Aos 10 minutos, em Santa Catarina, Reis empatou para os visitantes, deixando o Coelho ainda mais perto do título. Já no Horto, o Avaí, completamente dominado nos primeiros 45 minutos, passou a pressionar o América e equilibrou as ações. Não à toa, Getúlio, de cabeça, aos 16min, diminuiu para os catarinenses. A combinação de resultados, porém, seguia dando o tricampeonato ao time de Lisca.

Mesmo com dificuldades para criar chances e sendo pressionado na defesa, ainda que Cavichioli não tenha feito grandes intervenções, o América conseguiu terminar a noite no Horto com a vitória por 2 a 1. No entanto, ninguém comemorou quando o árbitro Flávio Rodrigues de Souza encerrou a partida. O elenco americano foi acompanhar os minutos finais do duelo em Santa Catarina em um monitor na beira do gramado. Lisca, por sua vez, desceu correndo para os vestiários.

No monitor, um drama. A Chape, que tinha conseguido voltar a ficar em vantagem, com gol de Perotti, aos 34 minutos, teve um pênalti marcado a seu favor já nos acréscimos. A cobrança de Anselmo Ramon na Arena Condá iria decidir o título da Série B do Campeonato Brasileiro. O América voltaria a ter razões para comemorar após uma penalidade, como foi no início de seu jogo? Não. A história em Santa Catarina foi diferente. Com personalidade, o atacante não desperdiçou a chance, bateu de cavadinha e decretou o título da Chapecoense e a desilusão do Coelho.