Crônica: O meu entrou, o seu entrou? Não, não entrou!

Por Ronaldo Costa Josino 11/01/2018 - 22:34 hs

A manhã de quinta-feira prometia.

Os funcionários da prefeitura de Grossos, com seus salários atrasados esperavam ansiosos pelo dia anunciado do pagamento, esta quinta, a quinta-feira “santa”.

04 horas da manhã já tinha funcionários olhando nos seus aplicativos do Banco do Brasil se os proventos estavam em conta. Nos grupos ainda nenhum vivente dava o ar da graça. Era muito cedo.

05 horas vieram os primeiros comentários, aliás, o primeiro, Entrou! Disse um solitário funcionário.

Graças a Deus! Com essas duas últimas palavras, voltou o silêncio no grupo.

Por volta das 06 horas, quando a luz que separa a noite do dia já estava a esquentar as folhas das plantas molhadas pela chuva da noite anterior, começaram os comentários com força.

981XXXXX: Entrou!

981XXYXX: O meu não entrou!

988XXXXX: O meu entrou!

981YYYYY: Pois, o meu não entrou!

981XYXYY: Entrou, entrou!

981XXYYZZ: Deus seja louvado, entrou!

981XZXZXZ: Que porra é essa, o meu não entrou!

981XXYWX: Sim, entra pra uns e outros não!?

981WXWXW: Num sei, só sei que o meu entrou!

Entre um alívio e um desabafo, as horas foram se alongando. Alguns não comentavam, colocavam só os “olhos”.

Os poucos que não receberam foram em busca de justificativas.

Alguns ligaram para a prefeitura: Por que não entrou?

Já era 09 horas quando outros já estavam na porta da prefeitura de prontidão!

- Por que o nosso não entrou?

- “Por isso”, mas aguarde que ainda hoje vai entrar!

12 hs.

981XXXXXXY: Entrou!

981XYYZZ: Entrou!

981XXWXX: Agora o meu entrou!

981XXWWX: O meu entrou e o teu cicrana, entrou?

981XXWWY: Entrou sim, entrou todim!

Assim como tão calmamente começou os comentários sobre o recebimento dos proventos nesta quinta, tão calmamente terminou.

 

E no final, entrou em todo mundo, digo, nas contas de todos.