Se não prestar atenção na hora do voto, o RN continuará na mesma “m”.

Por Ronaldo Costa Josino 14/04/2018 - 00:53 hs

Massacrado por uma elite política que faz acordo até com o demônio para continuar no poder, o RN sonha em um dia se livrar desse câncer maligno e dar, nem que seja por um instante, um passo rumo ao desenvolvimento.

Mas parece que a cada eleição esse sonho fica cada vez mais distante.

O povo na sua infinita inocência pensa em mudar, e chega até a mudar, pelo menos é o que muitos pensam.

Robinson Faria elegeu o filho, Garibaldi elegeu o filho, José Agripino elegeu o Filho, Beto Rosado elegeu o Filho e entre outros, muitos outros que os pais, alguns com seus nomes na “lama”, colocam seus filhos como substituto imediato e são eleitos.

Em Mossoró, se já não bastasse a longa história que o município tem sobre o comando dos Rosados, comenta-se que a prefeita tem intensões de colocar o filho na política, fala-se a vice-governo.

Já lá “pras bandas” da região central do RN o Deputado José Adécio - aquele que esteve se articulando com os gestores de Grossos - depois de 8 mandato ficou inelegível por 8 anos e sem perca de tempo, segundo comenta-se nas mídias, deverá colocar seu filho como substituto, afinal ser candidato sub judice, é um risco imediato, pode chegar a se reeleger e depois perder o mandato.

Agora perguntamos, vai ser eleito? Não tenho a menor dúvida. E assim, com discurso de mudança, as famílias tradicionais vão passando o destino do povo de pai para filho e o RN cada vez mais se desmanchando em pobreza.

Abra o olho RN!