Derrotados nas urnas, Garibaldi e Agripino votaram a favor do aumento dos salários de ministros do STF

Será que a intenção dos dois é agradar o Supremo já que a partir de janeiro de 2019 estarão sem cargos políticos e sujeitos a investigações sem o tal foro privilegiados?

Por Ronaldo Costa Josino 08/11/2018 - 23:25 hs

Agora RN - Aprovado no início da noite da última quarta-feira, 7, no Senado Federal, o aumento dos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil contou com a aprovação dos senadores potiguares Garibaldi Alves Filho (MDB) e José Agripino Maia (DEM).

Os parlamentares, que fracassaram nas eleições de 2018 e não conseguiram renovar o mandato em Brasília, foram dois dos mais de 40 senadores que concordaram com o reajuste de 16,38% no teto dos salários do funcionalismo público. Ao todo, o impacto no orçamento da União será de R$ 4 bilhões.

A outra representante do RN no Senado, governadora eleita Fátima Bezerra (PT), votou contra o reajuste, que terá um efeito em cascata para a União e sobretudo para os Estados, uma vez que já enfrentam grave crise financeira e correm risco de insolvência devido ao elevado comprometimento de suas receitas com a folha de pessoal. 

Nota: Será que a intenção dos dois é agradar o Supremo já que a partir de janeiro de 2019 estarão sem cargos políticos e sujeitos a investigações sem o tal foro privilegiados?

Como diz o outro, é somente uma pergunta.