Tatuagem realista reconstrói mamilos de mulheres com câncer: 'melhorou minha autoestima'

Projeto gratuito foi criado há cerca de um mês pelo tatuador Ruy Pinheiro, após pedido de cliente pelo serviço. Estúdio já tem até fila de espera em Natal.

Por Ronaldo Costa Josino 04/12/2018 - 19:34 hs

Tatuagem realista reconstrói mamilos de mulheres com câncer: 'melhorou minha autoestima'
Imagem mostra antes e depois de tatuagem realista que reconstruiu auréola e mamilo de seio de pacien

Do G1.RN - Um pedido aparentemente inusitado foi transformado em projeto social em um estúdio de tatuagens em Natal. Usando a arte do desenho realístico na pele, ele recria a auréola e o mamilo dos seios de mulheres que precisaram fazer a retirada total da mama - chamada mastectomia - durante o tratamento contra o câncer. O serviço gratuito, que começou há menos de um mês, já tem fila de espera.

A professora aposentada Anameire Barata, de 54 anos, que trata de câncer de mama e outro de pulmão há 7 anos, foi a inspiração para o tatuador Ruy Pinheiro. Em novembro passado, seis anos após tirar a mama e quatro após implantar uma prótese de silicone, ela resolveu procurar o profissional. A sugestão partiu da filha dela, Anna Elisabeth, de 23 anos, que já era cliente do estúdio.

"O olhar é diferente. Nunca tive baixa autoestima, mas isso melhorou, aumentou ainda mais minha autoestima. Foi algo especial, me emocionei, não esperava que ficasse tão perfeito. Quem olha, acha que é real", diz Anameire.

Trabalhando profissionalmente com tatuagens há 11 anos, e voltado para a arte realista, Ruy Pinheiro conta que, ao conhecer a história da professora, se prontificou a fazer o trabalho sem custos.

"Depois que eu fiz a tatuagem, a reconstrução, o resultado foi tão emocionante, com a reação dela, que me motivou a transformar a vida de outras mulheres. Eu, como homem, não tenho condições de descrever toda a plenitude, mas fiquei muito comovido", conta.

Ruy publicou o resultado em uma rede social e a história também se espalhou pelo "boca a boca". A ideia dele é continuar atendendo as mulheres de forma gratuita, sendo duas por mês. Já existem quatro na fila de espera. A prioridade é para quem não tem condições de pagar pela arte.

Professora Anameire Barata, reconstruiu seio após fazer mastectomia durante tratamento de câncer, em Natal. 'Não doeu nada' — Foto: Cedida