Comunidade do Córrego é agraciada com 6 bancos, um para cada ano

Agora os moradores da Comunidade do Córrego não tem mais do que reclamar, pode não ter Posto de Saúde, mas tem bancos, pode não ter calçamento, mas tem bancos, pode não ter feito reforma na praça, mas tem bancos. São 6, um para cada ano de reclamação.

Por Ronaldo Costa Josino 09/01/2019 - 18:15 hs

E tem gente que diz que o poder executivo não olha pelas comunidades!

A comunidade da Barra perdeu no inicio de 2013 uma UBS (Posto de Saúde), muito reclamaram e até hoje reclamam, mas o executivo municipal depois de 6 anos e com recursos próprios colocou 6 bancos na praça, um para cada ano para ninguém reclamar. Pode não ter Posto de Saúde, é verdade, mas tem banco, pode não ter feito reforma na praça, mas tem os bancos. Oxente!

A praça do moinho aconteceu o mesmo. Talvez o Moinho esteja esperando até hoje terminarem sua reforma, mas os bancos da praça do Ô já estão lá. Pode até reclamar à conclusão da reforma, mas dos bancos não, pode até reclamarem que a pracinha também não foi reformada, mas os bancos não. 

A comunidade do Córrego que outrora também perdeu seu bem mais precioso, isto é, seu Posto de Saúde, ganhou uma estrada que liga esta comunidade a de Valencia. Por outro lado perdeu seu calçamento que se encontra até hoje em estado deplorável, sendo inclusive ameaçado por um vereador da comunidade fechar a passagem até que o executivo fizesse uma manutenção no calçamento. Mas o protesto não aconteceu e o calçamento continua do mesmo jeito, “cheio” de defeito, em alguns lugares nem os paralelepípedos aparecem, é só areia. Em termos de comparação, basta trafegar pela Av. Terezinha Pereira, são muito parecidas.

Agora os moradores da Comunidade do Córrego não tem mais do que reclamar, pode não ter Posto de Saúde, mas tem bancos, pode não ter calçamento, mas tem bancos, pode não ter feito reforma na praça, mas tem bancos. São 6, um para cada ano de reclamação.

Pra quê posto de Saúde? Num já tem os bancos.

Pronto!

É investimento demais Júnior!

Sostô!