Contato com óleo nas praias pode causar inflamações, alerta dermatologista

Risco maior é de alergias e dermatites, além de doenças respiratórias; exposição ao petróleo possibilita o surgimento de coceira, vermelhidão e até queimaduras

Por Ronaldo Costa Josino 25/10/2019 - 10:23 hs

O contato com o óleo que atinge as praias do litoral do Nordeste pode causar alergias e dermatites, além de doenças respiratórias e no trato digestivo. De acordo com o dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia no Rio Grande do Norte (SBDRN), Leonardo Ribeiro, a maior preocupação é com a pele.

“Para retirar o óleo das praias é preciso estar com luvas, botas, máscaras e roupas adequadas ao manuseio. Assim, é possível prevenir dermatites e alergias”, aponta o médico.

A recomendação também é estendida aos banhistas. “Mesmo [o óleo] não estando visível no momento do banho, pode ocorrer diluição dele na água do mar e, nesses casos, o contato também é maléfico”, destaca doutor Leonardo.

A exposição ao óleo pode gerar vermelhidão, irritações, ressecamento, coceiras e até queimaduras na pele, podendo perdurar por semanas.

Em casos de contato com o óleo, o ideal é lavar a pele com água e sabão neutro.

O dermatologista recomenda ainda que não se deve utilizar solventes como querosene, gasolina, álcool, acetona e produtos para móveis, para retirar o óleo da pele. Agora RN.