Aos poucos Grossos vai 'parando' e necessitando das lideranças públicas.

O momento é de solidariedade e politicas públicas verdadeiras, deixemos a política partidária para depois das aflições.

Por Ronaldo Costa Josino 23/03/2020 - 20:29 hs

Em atendimento aos decretos - Estado e Município - o município de Grossos começa a viver momentos bem singulares e a se conscientizar para o problema do Covid 19.

Ainda há algumas "teimosias" por parte de alguns que ainda procuram bares e outros entretenimentos semelhantes, mas na maioria o município está parando. Na Prainha, por exemplo, os bares famosos como o Fruto do Mar, Eufrásio e Cavinho estavam sem nenhum movimento ou fechados. Aos finais de semana esses bares eram tomados por pessoas.

A própria Prainha sentiu os efeitos da quarentena e ao entardecer, quando recebia muita gente, este domingo pouca gente foi registrado em passeio.

No Centro as lojas e os locais de entretenimento estão fechados e/ou com o mínimo de pessoas. Aos poucos a cidade vai sendo tomada pelo silêncio.

O confinamento nesse momento de tanta apreensão é um "mal" necessário.

Segundo informações de um dos balseiros, segunda ou o mais tardar terça-feira (24) as balsas também vão parar. Neste domingo (22) o movimento foi muito abaixo da média, pouca gente atravessando e os que atravessavam, faziam por necessidade de trabalho ou moradia.

A sugestão do Diário de Grossos é que a partir desta data, os órgãos executivo e legislativo do município devem se unir, se programar para tomar medidas contingenciais para auxiliar esses profissionais autônomos que ficarão momentaneamente sem trabalho – ganha pão – entre eles, estão os mototaxistas.

O momento é de solidariedade e politicas públicas verdadeiras, deixemos a política partidária para depois das aflições.