Atenção queridos amigos cristãos!

As igrejas não irão acabar e os cultos não deixarão de existir. Deus continuará a inspirar os homens viventes nessa existência. O único risco é de tudo isso ter continuidade sem vocês.

Por Ronaldo Costa Josino 01/04/2020 - 16:20 hs

Os Estados Unidos é o país onde se concentra o maior número de protestantes. Lá eles também tinham muitos líderes que apostaram na mesma fé e hoje se tornou mais um epicentro do vírus. 

Na Espanha, as pessoas fizeram grandes aglomerações em protesto às medidas do governo e hoje milhares já morreram. Resumindo, os milhares que morrem no mundo hoje, são principalmente aqueles que ignoraram os riscos e não tomaram as devidas precauções. 

As igrejas não irão acabar e os cultos não deixarão de existir. Deus continuará a inspirar os homens viventes nessa existência. O único risco é de tudo isso ter continuidade sem vocês. 

Acredito que Deus seja um ser imensuravelmente inteligente,  benevolente, amoroso e misericordioso. Ele entregou o seu filho para ensinar a humanidade sobre como desenvolver profundo envolvimento e compreensão das suas leis, as quais os religiosos da época cumpriam em satisfação ao seu próprio ego. Os mesmos conspiraram até que o governo, numa atitude de ignorância, movida pelo medo de uma possível revolução que as ideias de Cristo provocava nas multidões, decidiram exterminar o propagador das ideias e seus seguidores. Daí começaram as perseguições. 

Os cristãos da época de Cristo foram perseguidos por acreditarem e praticarem a verdade independentemente das leis religiosas da sua época. Jesus nos ensinou a usar a razão para dar maior sentido as leis. Independente de seguir as leis e recomendações dos líderes religiosos, devemos seguir a verdade, que está diretamente ligada à sua capacidade de raciocínio. Não devemos confundir uma atitude de fé com uma atitude de ignorância. 

Louvemos a Deus com tudo que temos, inclusive com a sebedoria. Já sabemos, através dos exemplos históricos seculares e bíblicos, que a ignorância nunca foi e nunca será uma prova de amor a Deus. 

Devemos pensar mais em nossa família e no bem estar dos nossos irmãos e não em manifestações desnecessárias de reafirmação de fé. Em outras palavras, não há necessidade de provarmos nossa fé para ninguém. Que as pessoas sejam evangelizadas pelo nosso exemplo de respeito, amor ao próximo, humildade e reverência ao que acreditamos, manifestado naturalmente em nosso cotidiano. Que toda a nossa ação espiritual seja realizada através da oração ou estudos bíblicos, sendo feito com o intuito de modificar beneficamente o nosso ser e não com a pretensão de demonstrações ou para tentar convencer ou promover transformação nas outras pessoas. 

A obra de Deus não é realizada por nós. Somos apenas fontes emanadoras da sabedoria divina e quanto mais limpas as fontes, maior o número dos que buscarão beber. Não precisamos chamar a atenção de ninguém, pois somos luz. A luz ilumina, traz esclarecimento e segurança por onde passa, não sendo conhecida pela sua ação, mas pelo que ela é.