A força politica de nossos representantes é vista ao longo das RN 012 e Litorânea.

Em outubro de 2019 iniciou um tapa-buraco e até os dias hoje não foi concluído. As estradas estão piores do que antes do Tapa-buraco.

Por Ronaldo Costa Josino 04/07/2020 - 14:20 hs

A força politica de nossos representantes é vista ao longo das RN 012 e Litorânea.
Foto: Mizael Alcântara.

 

Vivemos em uma pandemia, sabemos disso, mas o problema da RN 012 tal como a da RN Litorânea Dehon Caenga não são de hoje, nem muito menos de ontem. No caso da RN 012 são de anos e anos e da RN Litorânea de pouco menos tempo, já que foi construída no mandato da Governadora Wilma de Farias (Em memória).

A força política de Grossos diante do grande descaso com essas duas RNs é comparada a um grão de mostarda. Nossos representantes maiores não tem força alguma para conseguir para o município algo que realmente solucione o problema dessas estradas e quando conseguem, é algo paliativo, apelativo, sem qualidade e completamente fora daquilo que o povo merece.

Fotos, matérias, blogs, entrevistas, palanques e redes sociais de um modo geral são usadas infinitamente para mostrar uma ação de tapa-buraco como se esta ação fosse o ápice da conquista. Pura tapeação.

Lembro que certo dia um vereador – pouca expressão comparada com a do prefeito ou deputado – foi ao DER e conseguiu sem muito alarde, o roço de toda RN 012. Mostrando que quem quer fazer, faz.

Em fim, as RNs que ligam Grossos ao resto do mundo estão completamente desgastadas, sem condições de tráfego, danosas aos veículos e aos bolsos dos contribuintes.

O mototaxista Santim está certo, não podemos culpar somente o prefeito. Pela inércia podemos dizer que os donos de veículos também tem sua parcela de culpa. Mas é o prefeito a maior responsabilidade de buscar essas melhorias junto aos deputados e governadores.

E o tapa-buraco conseguido em outubro de 2019 por num sei quantos políticos? Pronto, ao dar uma passadinha pela RN 012 e Litorânea você irá comprovar nas “peças do seu veículo” a força política de Grossos.