Especialistas alertam sobre Rússia aprovar vacina antes de completar testes.

Organização Mundial da Saúde já advertiu o país advertiu na semana passada.

Por Ronaldo Costa Josino 12/08/2020 - 05:46 hs

Do IG - A Rússia foi o primeiro país a aprovar uma vacina para o novo coronavírus, segundo o presidente Vladimir V. Putin nesta terça-feira (11), embora o medicamento ainda não tenha completado todos os testes clínicos considerados necessários.

O anúncio  acendeu o alert a em todo o mundo de que Moscou está evitando testes para "marcar" pontos políticos. O órgão científico que desenvolveu a vacina russa, o Instituto Gamaleya, ainda não conduziu os teste s de Fase 3 em dezenas de milhares de voluntários, um processo visto como o único método para garantir que uma vacina seja realmente segura e eficaz.

"Funciona com bastante eficácia, forma uma imunidade estável e, repito, passou por todos os testes necessários", disse Putin, apesar das críticas, acrescentando que uma de suas filhas havia tomado a vacina .

O Instituto Gamaleya disse que um teste de Fase 3 começaria na quarta-feira (12), envolvendo mais de 2 mil pessoas. O ministro da saúde da Rússia, Mikhail Murashko, disse que professores e profissionais da área médica seriam vacinados a partir deste mês.

"Isso tudo é estúpido ", disse John Moore, virologista da Cornell Weill Medical em Nova York. "Putin não tem vacina, ele está apenas fazendo uma declaração política."

Em todo o mundo, 29 vacinas - de um total de mais de 165 em desenvolvimento - estão em vários estágios de testes em humanos .

O momento do anúncio da Rússia torna "muito improvável que eles tenham dados suficientes sobre a eficácia do produto", disse Natalie Dean, bioestatística e especialista em doenças infecciosas da Universidade da Flórida que alertou sobre a a pressa no processo de aprovação das doses. Dean observou que as vacinas que produziram dados promissores em testes iniciais em humanos fracassaram em estágios posteriores.